quarta-feira, 28 de julho de 2010

VARIANDO EQUIPAMENTOS Cont.


CRUCIFIXO COM HALTERES

MÚSCULOS EM AÇÃO
PRIMEIRO PLANO: PEITORAL MAIOR
SEGUNDO PLANO: DELTÓIDE ANTERIOR

COMO FAZER:
- Deitado em um banco horizontal, comece com os halteres diretamente acima do tórax médio, com as palmas das mãos voltadas para dentro.
- Abaixe os halteres com amplo movimento de abertura para fora, dobrando ligeiramente os cotovelos durante a descida dos pesos até o nível do tórax.
- Levante os halteres em um movimento simultâneo, fazendo um arco ascendente em retorno a posição inicial.

VARIAÇÕES:



Você pode fazer o exercício em um banco Plano, Inclinado ou declinado. Também pode fazer em um apoio para costas.

DICAS:
- O crucifixo funciona melhor quando a pegada é neutra, ou seja palmas das mão voltadas para dentro.
- Uma pegada pronada, onde as palmas das mãos estão voltadas para frente, também pode ser utilizada.
- Quando mais baixo descerem os halteres, maior será o alongamento dos músculos peitorais, mas também será maior a probabilidade de lesão.
- É mais seguro terminar a descida quando os halteres chegarem no nível do tórax.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

BUDISMO


Havendo-lhe perguntado os fariseus quando chegaria o Reino de Deus, lhes respondeu Jesus: O Reino de Deus vem sem se deixar sentir.E não dirão: '- Vede-o aqui ou ali, porque o Reino de Deus já está dentro de vós' ". Buda: dizia que só o conhecimento de si levava à iluminação.

Jesus: Todo aquele que ouve as minhas palavras e as põe em prática é como um homem que construiu uma casa sobre a rocha. Caiu a chuva, uma torrente se abateu sobre a casa, mas ela não caiu, pois estava fundada sobre a rocha. Mas aquele que ouve as minhas palavras mas não as pratica é semelhante a um homem que construiu sua casa na areia. Veio a chuva, a torrente se abateu sobre ela, e ela desabou. E foi grande a sua ruína". Buda: Assim como a chuva penetra numa casa mal coberta, também a paixão invade uma mente dispersa. Assim como a chuva não penetra numa casa bem coberta, igualmente a paixão não invade uma mente bem formada"



Jesus: O homem bom tira coisas boas do tesouro do coração, e o mau retira coisas más, pois a boca fala do que está cheio o coração". Buda: A pessoa má fala com falsidade, acorrentando os pensamentos às palavras. Aquele que fala mal e rejeita o que é verdadeiramente justo não é sábio".

Jesus: "Não pode a árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar bons
frutos. Porventura colhem-se figos de espinheiros ou ervas de urtigas? Toda árvore se conhece pelos frutos". Buda: "Não importa o que um homem faça, se seus atos servem à virtude ou ao vício, tudo é importante. Toda ação acarreta frutos".

MUSCULAÇÃO - Variando Equipamentos

VARIANDO EQUIPAMENTOS

Uma boa estratégia para ESTIMULAR MAIS OS SEUS MUSCULOS é fazer uma variação de equipamentos de treino em um CICLO DE 03 SEMANAS. Funciona da seguinte forma:
SEMANA 1 – Trabalhe somente em MAQUINAS. Na semana 1 não faça nenhum exercício com PESOS LIVRES [ Barra ou Halteres].
SEMANA 2 – Misture, trabalhando com MAQUINAS e PESOS LIVRES. Utilize a forma normal de treinamento usando Maquinas, Barra e Halteres.

SUPINO COM HALTERES


MÚSCULOS EM AÇÃO
PRIMEIRO PLANO: Peitoral Maior
SEGUNDO PLANO: Deltóide Anterior, Tríceps
COMO FAZER:
- Deitado em um banco horizontal, comece com os halteres no nível do tórax, palmas das mãos, voltadas para a frente.
- Impulsione verticalmente os halteres, até que ocorra a extensão total dos cotovelos.
- Abaixe os halteres, retornando-os até a parte media do tórax.
VARIAÇÕES:
Você pode fazer o SUPINO COM HALTERES também em um banco inclinado, seria então o SUPINO INCLINADO COM HALTERES ou em um banco declinado: SUPINO DECLINADO COM HALTERES.
DICAS:
- Segurar os halteres com as palmas das mãos voltadas para frente[pegada pronada] proporciona mais alongamento enquanto o peso é baixado até a posição inicial.
- Segurar os halteres com as palmas das mãos voltadas para dentro[pegada neutra] permite maior contração na posição de bloqueio dos cotovelos.
- O torso deve ficar diretamente pousado no banco e os halteres devem se movimentar verticalmente, para cima e para baixo, a partir do tórax médio[área dos mamilos].
- Para maximizar o isolamento dos peitorais, os cotovelos devem ficar bem abertos durante a descida, e os halteres devem se tocar no momento do bloqueio dos cotovelos[momento da subida].
- Uma repetição mais curta, em que o movimento termina imediatamente antes do bloqueio dos cotovelos, mantém a tensão nos peitorais e reduz a ajuda do tríceps.
- Quanto mais baixo descerem os halteres, maior será o alongamento dos músculos peitorais, mas se os halteres abaixarem muito, poderá ocorrer lesão no ombro. O mais seguro é terminar a descida quando os halteres chegarem no nível do tórax.
- A elevação dos seus pés do chão com o dobramento dos joelhos poderá ajudar no direcionamento do exercício para a parte media do tórax, mas lembre que a estabilidade e o equilíbrio ficarão comprometidos. Trabalhando com halteres bem pesados é sempre aconselhável que os pés mantenham contato com o chão.

Fonte: Portal da Musculação

quarta-feira, 21 de julho de 2010

LIPÍDIOS E FRAÇÕES


Atenção para suas taxas de colesterol!!!


terça-feira, 20 de julho de 2010

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR


EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

JOGOS

PEGA-PEGA DOS PARES E IMPARES: Forma-se duas equipes sendo uma, os números pares e a outra os números impares, sentados em fileiras uma de costa para a outra a uma distância de 03m. O animador chama um número ou expressão ( par ou impar ) o número chamado levanta-se e foge em direção ao seu campo de defesa ( todos os pares ou todos os impares ) e o que não foi chamado tentaram pegar algum membro da equipe adversária, antes que cheguem em sua área de imunidade.

DERRUBAR OS CONES: Duas equipes tentaram derrubar os cones no menor tempo possível, sendo que um jogador da equipe adversária tentará impedir atingido o adversário com uma bola e no momento em que este é atingido outro jogador parte para tentar completar a derrubada dos cones.

CORRIDA DOS COPOS D’ÁGUA: Duas ou mais equipes em colunas onde o último jogador terá que passar por entre as pernas dor jogadores à sua frente em seguida superar um obstáculo ( ex. amarelinha ou pneus ) logo após contornar um cone, retornar correndo e repassar o copo para o último jogador de sua equipe, seguindo a seqüência, vence a equipe que terminar com a maior quantidade de água no copo.

CORRIDA DOS TAPETES: Formam-se equipes com dois participantes, onde cada dupla receberá dois tapetes ( ou jornais ), terão que terminar o trajeto da corrida sempre pisando em dos jornais, pondo o outro na frente e seguindo a seqüência.


QUERRA DO ESTOURA BOLÕES: Balões amarrados em uma das pernas, as duplas tentarão estourar os balões dos adversários.

CORRIDA DO ESTOURA BALÃO: Um componente da equipe sentado e os demais em pé com balões, ao sinal partem, um a um, para estourar o balão no colo de seu companheiro.

TEMPESTADE: Organiza-se um círculo de cadeiras, o animador se coloca no centro do círculo, o animador anuncia “onda a direita”, todos passarão para a cadeira da direita, quando for anunciado “onda a esquerda”, todos passarão para a cadeira da esquerda, após algumas vezes o animador anuncia, “TEMPESTADE”, nesse momento todos deverão mudar de lugar, procurando ocupar alguma cadeira, e é, nesse momento que o animador ocupa uma cadeira, aquele que ficar sem sentar-se fica sendo o animador.

MUSCULAÇÃO

Larissa Cunha e Jay Cutler

SÉRIE EM PIRÂMIDE

Utilizadas por praticamente todos os musculadores, em especial nos exercícios básicos, essas séries têm o seguinte procedimento: À medida que os músculos de determinado grupamento vão se aquecendo, a carga é aumentada e o número de repetições é reduzido; depois, inverte-se o processo.
Exceto as primeiras 2 ou 3 séries, consideradas de aquecimento, as demais deverão ter cargas máximas para as repetições propostas na série "Pirâmide". Pode-se também fazer a "pirâmide inversa", ou seja, após o aquecimento, iniciar com cargas máximas e repetições baixas, reduzindo as cargas e aumentando as repetições. Ou, ainda, a " meia pirâmide", empregando apenas a fase inicial.

REPETIÇÕES FORÇADAS

Não importa o tempo de treinamento, nem quanto os músculos estejam fortes: o corpo acabará por adaptar-se às mais duras exigências.
À medida que os músculos vão ficando mais fortes, igual intensidade do treinamento gastará menos reservas, impedindo o progresso, caso não se aumente continuamente a intensidade. Mais carga, menores intervalos de repouso, maior concentração, movimento dificultado etc. Mas chega um momento em que o corpo atinge um limite, que não podemos transpor.
Essa é a hora de procurar a ajuda de um companheiro de treinamento, para derrubar a barreira, fazendo as "repetições forçadas".
O processo é simples: quando o praticante estiver impossibilitado de realizar mais uma repetição na série proposta, seu colega o auxiliará, mas apenas o suficiente para completar algumas repetições a mais. Não é correto haver um auxílio exagerado, pois a idéia é conseguir algumas repetições extra, super duras - não facilitá-las. Muitas vezes nestes casos, a "ajuda" pode resumir-se a um estímulo psicológico, como palavras de ordem, voz de comando etc. O auxílio físico ao movimento se dará apenas no ponto de falha, não em todo o percurso. Quando os músculos ficam impossibilitados de executar uma repetição a mais, não significa que estejam totalmente esgotados.
Por exemplo: ao fazer o supino com uma carga que nos permita 8 repetições, não paramos a série aí, mas o parceiro nos auxilia a completar uma repetição extra, ou seja, "forçada".
Este sistema pode ser aplicado após um certo tempo de treinamento, que já tenha dado ao corpo a oportunidade de crescer e adaptar-se, de aprender técnicas corretas, de ter domínio e controle sobre os músculos e cargas. Este estágio se alcança, via de regra, depois de 1 ano de treinamento sério.
A técnica de repetições forçadas é empregada pelos atletas somente a cada 2 ou 3 treinamentos, na última e/ou penúltima série de um determinado exercício e nunca mais do que nos 2 ou 3 movimentos finais por série.
É um erro realizar todos os movimentos da série "ajudado": dominar as variantes de cargas e de repetições é importante para a elaboração de uma programação de treinamento.
Os exercícios mais indicados para as "repetições forçadas" são os Básicos, tais como: agachamentos, desenvolvimentos e remadas. Alguns exercícios isolados ou "concentrados", como por exemplo a rosca Scott, ou extensões de pernas, podem ser "forçados", mas deve haver um bom controle nas "negativas" (ou excêntricas), para evitar lesões.

TENSÃO CONTINUA

Praticamente todos os exercícios permitem o emprego desta técnica, que, embora obrigue a uma sensível redução das cargas, é de alta intensidade.
Ela consiste fundamentalmente em não completar o movimento concêntrico, nem realizar a tradicional breve pausa neste momento, como nas repetições comuns.
Antes de completar totalmente o movimento, reinicia-se o seguinte, fazendo com que os músculos se mantenham em contração continuada, durante toda a série. Em alguns exercícios, como nas roscas e remadas, por exemplo, sugere-se que não haja pausa nem ao finalizar a excêntrica.
Nos agachamentos e desenvolvimentos em geral, a excêntrica deve ir até o limite máximo, alongando bem os músculos, mas a concêntrica não deve ser finalizada, não permitindo, assim, um parcial relaxamento do músculo alvo. Os movimentos realizados desta forma tornam-se bem mais rápidos e trabalham os músculos em grande profundidade.

NEGATIVA FORÇADA

São chamados "negativas" os movimentos excêntricos, quando os músculos se alongam, na fase mais importante de qualquer exercício. "Forçar" as negativas pode ser essencial para se obter uma intensidade realmente máxima, mas é um procedimento que exige cautela, pois pode levar a lesões dos músculos e articulações.
Por outro lado, controlando bem as "negativas" e retornando mais lentamente ou, até, realizando uma breve parada, a intensidade é igualmente alta e não há perigo de lesão.
IMPORTANTE: Recomenda-se muito cuidado ao empregar estas técnicas pela primeira vez. Procure sempre seu professor, para orienta-lo sobre os sistemas de alta intensidade a serem introduzidos em seu treinamento.

PRÉ-ESGOTAMENTO – HEAVY DUTTY

Quando trabalhamos os músculos grandes peitorais com o supino, por exemplo, supomos que os tríceps e o deltóide anterior (que atuam como sinérgicos neste movimento), por serem menores, se esgotem antes dos grandes peitorais, impedindo que estes recebam intensidade máxima.
Com este pensamento, desenvolveu-se a técnica chamada "pré-esgotamento", que tem por base o "ataque" a um determinado músculo, através de um exercício que o trabalhe isoladamente, seguido - sem pausa - de um movimento composto, onde os sinérgicos (no caso do supino), tríceps e deltóide estarão temporaria¬mente "mais fortes" do que o agonista peitoral, antes pré-esgotado. Esta é uma forma de obter altíssima intensidade no treinamento.

MACRONUTRIENTES - CARBOIDRATOS


Carboidratos

Carboidratos são moléculas compostas de carbono, hidrogênio e oxigênio, em proporções constantes de 2:1 desse dois últimos átomos, daí seu nome: carbo (carbono) + hidrato (água). Esse macronutriente tem sua digestão iniciada na boca e é absorvido no intestino em suas formas mais simples, caindo na circulação sangüínea. Diante de altos índices de glicose (forma mais abundante de carboidrato) é iniciada a liberação de insulina, a qual vai mediar o processo de absorção de algumas moléculas, dentre elas a glicose e os lipídios, vê-se então a primeira maneira através da qual a ingestão de carboidratos pode levar a hipertrofia e ao aumento do acúmulo de gordura. Todos os 3 macronutrientes (carboidratos, gorduras e proteínas) são compostos basicamente de carbono, hidrogênio e oxigênio, à exceção das proteínas, que também possuem nitrogênio.


O que dá a cada substância propriedades únicas é a disposição de suas ligações químicas e a proporção entre seus átomos. Após a "quebra" dos alimentos restam moléculas que podem ser usadas na ressíntese de vários tecidos, dependendo da demanda metabólica e da oferta nutricional. É como se seu corpo tivesse limitados tipos de peças e a partir delas montasse inúmeros quebra-cabeças. O problema é que seu corpo tem preferência por um tipo de quebra-cabeça e sua capacidade de montar outros tipos é limitada, só ocorrendo quando é estritamente necessário. Agora vêm a má notícia, o quebra-cabeça preferido de seu corpo é a ... (pausa dramática)... gordura. As outras formas, como glicogênio e proteínas musculares, podem ser induzidas pelas atividades físicas, porém sofrem sérias limitações.Dicas sobre a ingestão de carboidratos.


Dicas sobre a ingestão de carboidratos:


Escolha os alimentos pelo índice glicêmico: a magnitude da elevação dos níveis de glicose sangüínea induzida por determinado alimento é denominada índice glicêmico, e quanto maior for o índice glicêmico, maior será a liberação de insulina. Em diversas ocasiões estes picos de insulina são interessantes, mas dificilmente serão bem-vindos para quem deseja reduzir o percentual de gordura. Frutas e alimentos ricos em fibras geralmente produzem menores respostas glicêmicas, Sears (autor do Ponto Z) é mais radical e recomenda frutas inteiras ao invés de sucos, visto que as fibras se encontram na polpa e não no caldo.

Aproveite o momento: depois do exercício temos um período de poucas horas onde os carboidratos podem ser bem absorvidos através de um processo independente da insulina, visto que as contrações musculares induzem a migração da proteína GLUT-4 para a superfície celular, fazendo desta uma boa hora para se ingerir carboidratos (MacLean et al, 2000; . Outro momento favorável é após despertar, pois passamos várias horas em jejum devido ao sono, favorecendo um processo catabólico mediado pelo cortisol, o qual tem sua liberação inibida pelos níveis sangüíneos de insulina.


Evite o momento: altas taxas de glicemia inibem a liberação de hormônio do crescimento, o qual tem picos significativos durante o sono. Quando objetiva-se reduzir o percentual de gordura, a recomendação é estabelecer um intervalo maior que quatro horas entre a última refeição composta de carboidratos e a hora de dormir, para que não ocorra prejuízo dos picos de GH. Esta é uma recomendação controversa e muito discutível na prática, porém há quem a defenda com muito afinco. Coma de acordo com suas necessidades: qualquer macronutriente em excesso, seja ele qual for, ocasionará acúmulo de gordura corporal, lembre-se dos quebra-cabeças, seu corpo é muito limitado para acumular proteínas e carboidratos, mas não para acumular gordura.


Existem autores que defendem alta ingestão de carboidratos, outros defendem baixa, ou até mesma nula, e alguns preconizam o equilíbrio, com quantidades equivalentes entre carboidrato e gordura. Paradoxalmente, todos estão certos e errados ao mesmo tempo. Há pessoas mais sensíveis que produzem respostas de insulina exageradas, portanto devem ter cuidado com carboidratos. Muitos organismos não suportam concentrações elevadas de corpos cetônicos geradas pela "abstinência", devendo equilibrar a ingestão de glicidios. Por sua vez, dietas ricas em proteínas são desaconselháveis para portadores de disfunções renais. Talvez a propagação destas dietas "revolucionárias" tenha mais interesse financeiro do que humano, tanto que seus gurus são invariavelmente autores de best-sellers e engordam sua conta bancária utilizando poderosas estratégias de marketing.


Nem todas as dietas são agradáveis, minha recomendação é que se encontre o método mais conveniente dentro das limitações fisiológicas e psicológicas de cada indivíduo, lembrando de variar o cardápio e até mesmo o tipo de dieta, para evitar a monotonia e o platô desencadeado pela adaptação metabólica.
Antes de se submeter a qualquer treinamento físico, procure um profisional de Educação Física!!!

NATAÇÃO PARA BEBÊS


NATAÇÃO PARA BEBÊS

Nos últimos anos, a área de natação que mais se desenvolveu foi à atividade aquática para bebês e pré-escolares. Até a década de 70, a natação para bebês era olhada com muitos preconceitos e estava cheia de mitos.
As principais publicações científicas surgiram em 1981 e a partir daí médicos e psicólogos viram na natação uma maneira de se estudar o desenvolvimento das habilidades motoras criança.

IMPORTÂNCIA DA NATAÇÃO PARA BEBÊS

Devido à falta de gravidade a água proporciona uma liberdade de movimentos que o bebê não pode efetuar fora, estimulando a motricidade e levando-o a caminhar mais cedo.
Além de desenvolver os músculos e melhorar o apetite e o sono que são estimulados devido ao esforço físico, previne várias doenças respiratórias e prepara a criança para o auto-salvamento.
As primeiras reações motoras do bebê na água são globais e desorganizadas. Até quatro ou cinco anos de idade é quase impossível esperar que a criança desenvolva uma habilidade técnica de qualquer nado.

Vantagens da natação para bebês

• Melhora o desenvolvimento neuromotor e resistência cardio-respiratória.
• Fortifica a musculatura.
• Estimula um sono mais tranqüilo
• Reforça o apetite.
• Desenvolve a estabilidade emocional e a autoconfiança.
• Reforça a relação entre mãe e filho.
• Proporciona sociabilização.

OBJETIVOS AFETIVOS E SOCIAIS

A aula de natação é a primeira oportunidade de convívio social que os bebês têm. Para a mãe, a troca de experiências com outras mães, vai proporcionar novos aprendizados.
Nas primeiras aulas e é primordial a presença dos pais ou alguém familiar à criança. Até ela se sentir mais segura e se acostume com o professor.
Durante o processo de estimulação aquática, a presença da mãe predomina sobre a do pai e para este participar do processo de aprendizagem do filho algumas academias promovem aulas aos sábados.
Os pais, também atuam como elementos de segurança da criança, pois dificilmente o professor poderia dar conta de tantas crianças ao mesmo tempo e serve como uma forma intermediária de chegar ao bebê.
Acredita-se que a ausência do pai nas aulas seja um dos motivos de rejeição dos bebês a figura do professor (homem). Nesse caso, a professora acaba tendo uma aceitação maior por parte do bebê.

OBESIDADE INFANTIL cont.


OBESIDADE INFANTIL 2ª Parte

Atualmente, a OMS recomenda a prática de atividades físicas de intensidade leve ou moderada diariamente ou na maior parte dos dias da semana, sendo que, para a prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes e para o controle de peso, de 30 a 60 minutos diários de atividade, podendo ser praticados de forma continua ou acumulada ao longo do dia (BRASIL, 2006). A Sociedade Brasileira de Cardiologia nos traz o alerta da importância da realização de atividades físicas para combater a obesidade infantil.

Atividade física na infância e adolescência tem efeitos benéficos sobre o controle dos fatores de risco cardiovascular como a obesidade, a dislipidemia, a diabetes mellitus, o tabagismo e a hipertensão arterial sistêmica, bem como sobre a capacidade funcional aeróbica, a prevenção da osteoporose e a saúde psicológica dos seus praticantes (SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA, 2005).

Outras conseqüências acarretadas pela obesidade estão relacionadas à qualidade de vida do indivíduo no campo psico-social, indivíduos obesos, principalmente crianças e adolescentes, freqüentemente apresentam baixa auto-estima, afetando a performance escolar e os relacionamentos (Matsudo, 2006). Tal idéia está de acordo com o que o Ministério da Saúde alerta:

“Com o crescimento da criança, na fase escolar, já não se espera tanta corpulência, o excesso de peso já pode trazer algumas dificuldades em atividades físicas, a corpulência pode começar a ser motivo de "chacotas", o que se intensifica na fase de adolescência” (BRASIL, 2006).

A obesidade até bem pouco tempo atrás era uma doença características das classes sociais mais abastadas, o que hoje se verifica é um aumento também nas classes menos favorecidas. Anteriormente confinado aos países desenvolvidos, o fenômeno alcançou de forma intensa os países em desenvolvimento, como resultado do que se chamou transição epidemiológica, onde populações comprometidas principalmente pela subnutrição mudaram rapidamente esse perfil, com progressivos contingentes de pessoas com excesso de peso e obesidade. O Brasil vem se destacando negativamente, ocupando hoje o topo do pódio no aumento de peso corporal por pessoa / ano: 0,5kg (MATSUDO, 2006).

Já Fisberg (2006) aponta uma outra hipótese relevante sobre estudos na área da obesidade infantil. Um destes estudos realizados na Universidade Federal de São Paulo aponta que indivíduos em estado de desnutrição, sobreviventes e recuperados, com acesso a uma alimentação de qualidade, podem acumular com mais facilidade a gordura no tecido adiposo, numa proteção natural do organismo protegendo-se de uma possível falta de alimentação futura. Outras hipóteses mostram que a mudança dos hábitos de vida, com o aumento do sedentarismo e a adoção de hábitos de vida não saudáveis, com alimentação inadequada, e a incorporação de hábitos procedentes das sociedades ocidentais, poderiam explicar este aumento descontrolado da epidemia (FISBERG, 2006).

Em um passado recente, era bastante comum ouvirmos frases de nossas avós como: “criança gordinha é criança sadia”, imperava a cultura de sobrecarregar as crianças com alimentos, muitas vezes inadequados ou desnecessários. Hoje a doença vem chamando atenção da mídia, que procura alertar para os riscos da obesidade infantil persistir até a idade adulta, em virtude principalmente dos maus hábitos alimentares aliados à falta de atividades físicas regulares (FISBERG, 2006).

quinta-feira, 15 de julho de 2010

A FLEXIBILIDADE




A Flexibilidade foi definida por Holland (1986), citado por ALTER (1988, p. 3) como a qualidade física responsável pela “...amplitude de movimento disponível em uma articulação ou conjunto de articulações.”. Esta definição poderia ser complementada e enunciada como: “Qualidade física responsável pela execução voluntária de um movimento de amplitude angular máxima, por uma articulação ou conjunto de articulações, dentro dos limites morfológicos, sem o risco de provocar lesão.” (DANTAS, 1998, p. 33).
Falar em flexibilidade é, portanto, se referir aos maiores arcos de movimentos possíveis nas articulações envolvidas. Como a prática desportiva exige a utilização completa dos arcos articulares especificamente envolvidos nos gestos desportivos, fica muito difícil, se não impossível, a performance de alto rendimento sem se dispor de um bom nível de flexibilidade nos segmentos musculares empenhados.
Quanto mais alta for a exigência de performance, mais atenção deve ser dada à flexibilidade. Ressalte-se que isto não significa alcançar o máximo possível de mobilidade. A flexibilidade, ao contrário de todas as outras qualidades físicas, não é melhor quanto maior for. Existe um nível ótimo de flexibilidade para cada pessoa, em função das exigências que a prática exercerá sobre o aparelho locomotor e a estrutura dos seus componentes (ligamentos, articulações, músculos e outras estruturas envolvidas).
Um nível de flexibilidade acima do desejado, além de não acarretar melhora da performance nem diminuição do risco de distensão muscular, propiciará aumento da possibilidade de luxações (DANTAS, 1995, p. 51; KRIVICKAS & FEINBERG, 1996 e TWELLAAR, VERSTAPPEN, HUSON & VANMECHELEN, 1997).
O treino de alto rendimento se fundamenta nos Princípios Científicos do Treinamento Desportivo (DANTAS, 1998, p. 37-54). O trabalho de flexibilidade no personal training não poderia ser diferente.