sábado, 20 de novembro de 2010

OBESIDADE INFANTIL Cont.

OBESIDADE INFANTIL

Segundo Fisberg e Oliveira (2003), pesquisas realizadas em algumas cidades brasileiras mostram que o sobrepeso e a obesidade já atingem 30% ou mais das crianças e adolescentes, este mesmo estudo nos mostra que esses números tendem a crescer se nada for feito para conscientizar os pais, escolas, o poder público, enfim toda a sociedade envolvida direta ou indiretamente.
Com relação à escola, vale observar sua participação no que diz respeito à conscientização e colaboração, principalmente sobre o lanche oferecido e consumido pelas crianças, pois segundo Serra (2001), estes lanches funcionariam como um complemento excessivo das refeições básicas. Se não vejamos o que diz o autor:

“Uma das possíveis causas do aumento da obesidade, particularmente, entre os adolescentes consiste na incorporação da prática alimentar dos lanches rápidos, conhecidos como fast foods, que muitas vezes substituem as grandes refeições (almoço e jantar), ou constitui-se num complemento excessivo dessas refeições. Em ambas as situações, os fast food comprometem o estado nutricional, levam à obesidade ou a um quadro de carências nutricionais. Geralmente, os lanches rápidos são ricos em calorias e pobres na quantidade de ferro, cálcio, vitaminas e fibras” (SERRA, 2001).

Outro fato interessante é apresentado por Leão et al. (2003):

“A maior freqüência de alunos obesos do sexo feminino nas escolas públicas tem sido mencionada por outros autores nacionais e internacionais, concordando com o fato de que meninas apresentam uma maior quantidade de tecido adiposo do que meninos.” (LEÃO et al, 2003).