sábado, 30 de maio de 2009

EDUCAÇÃO FÍSICA E A 3ª IDADE



Atividade física e o idoso:

Um número crescente de estudos demonstrou claramente que os idosos, mesmo aos 90 anos de idade, são capazes de aumentar a massa e a força muscular em resposta ao treinamento com pesos. De forma geral, os estudos sugerem que a queda da força e da massa muscular com o envelhecimento pode ser atenuada pelo treinamento adequado de musculação. Uma existência de exercícios vigorosos é necessário para manter os músculos do corpo em boa forma. Muitos pesquisadores que avaliaram os efeitos do envelhecimento sobre o sistema cardiorrespiratório centraram a atenção sobre a aptidão aeróbia máxima ou VO2má. O VO2 máx diminui 8 a 10% por década após os 25 anos de idade, tanto para homens quanto para as mulheres (NIEMAN, 1999).

Cerca de metade dessa redução foi relacionada com o fato de as pessoas se exercitarem menos e se tornarem mais obesas à medida que envelhecem. Alguns estudos demonstram que a taxa de declínio pode ser atenuada em até 20anos em razão dos exercícios de resistência regulares e vigorosos. Até o momento não existente dados convincentes que demonstrem que a diminuição da aptidão aeróbia relacionada com a idade possa ser prevenida pela prática regular de exercícios de resistência. O processo de envelhecimento é real e várias alterações no corpo, incluindo uma diminuição da capacidade do coração de bombear o sangue a uma freqüência elevada e a capacidade dos músculos de utilizar o oxigênio, estão ligados ao declínio do VO2 máx relacionado com a idade.

Recomendações:

A prescrição de atividades para idosos orienta-se pelos princípios do treinamento “normal”. No início deve-se dar ênfase ao sistema cardiorrespiratório, com a intensidade de carga não ultrapassando a 50% do VO2máx ou 60% da Fcmáx. A freqüência semanal deverá ser de 3 vezes por semana, em dias alternados, com a duração entre 20 a 60 minutos. Para o iniciante, deve-se aproximar gradualmente destes valores por meios de cargas intervaladas - alguns minutos de atividade, descanso, retorno a atividade. Procurar diminuir gradativamente o intervalo de descanso. No treinamento com pesos, deve-se utilizar um percentual de carga relativamente baixo no início do programa (40-50% do peso máximo), cuidados com a respiração bloqueada), evitar exercícios isométricos e posição do corpo que prejudique a circulação periférica. Os exercícios de alongamentos, devem ser feitos no mínimo 3 vezes por semana, dando atenção especial à mobilidade da coluna vertebral, ombros e quadris.

RISCOS E INTOLERÂNCIA AO EXERCÍCIO

A imprudência e a prescrição incorreta de exercícios físicos podem acarretar sérias conseqüências que vão desde a morte súbita, infarto do miocádio, até uma simples tonteira ou desmaio. O indivíduo deve exercitar-se dentro de sua própria “tolerância de esforço”. O mesmo deve também, fazer uma avaliação da aptidão física e clínica periodicamente e obediência ao “princípio da sobrecarga” são importantes para se prevenir os “azares” das práticas esportivas, principalmente em idosos onde todo o cuidado, às vezes, ainda é pouco e insuficiente, segundo Leite (1990).

"PROCURE SEMPRE ORINTAÇÃO DE UM PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA"

Nenhum comentário:

Postar um comentário